Atendimento: Segunda a Sexta das 09h às 18h | Sábados das 08h às 12h

Rua Monte Serrat, 623 - Tatuapé - São Paulo

Tel: (11)2254-5157

libertyensinoadistancia@gmail.com

Reflexão: Os impactos financeiros de não ter estudos

Em uma revisão realizada no ano de 2018 pelo IBGE. Estima-se que já somos mais de 208 milhões de pessoas no Brasil. Somente na cidade de São Paulo, segundo revisão do senso (no mesmo período) já somos 12.176.866 milhões de habitantes, e que a cada quilometro quadrado temos em média 7.398 mil habitantes. E, é neste mundaréu de pessoas que compartilhamos nosso dia a dia, onde nossos filhos estudam, e onde trabalhamos para sustentar as nossas famílias. Vale ressaltar que a cada ano este número aumenta consideravelmente e, que a quantidade de pessoas que migram de outros estados também. Em pesquisa livre ao Google já somos estimados em 14,71 milhões de habitantes, um aumento significativo de aproximadamente 13%, já em 2019.

Fonte: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/sao-paulo/panorama

Google: Termo: Habitantes da cidade de São Paulo

Dentro deste contexto, pouquíssimas pessoas têm a noção exata do impacto sócio econômico que os estudos trazem para a população brasileira, e principalmente a população paulistana. Claro, se estamos vivendo nesta cidade, nossas vidas são totalmente afetadas pelas condições econômicas, e pode parecer que não, mas, não ter completado os estudos é um dos principais fatores que fazem com que os habitantes da cidade de São Paulo estejam enquadrados ou não, dentro das pesquisas médias salariais. Isto não somente afeta o seu bolso, mas também a sua qualidade de vida. Desta forma simples, nós da Liberty gostaríamos de chamar sua atenção para pontos importantes levantados pelo IBGE; e que se compreendidos corretamente, podem contribuir, não somente para melhorar o seu salário, mas a condições de relações com a sociedade, com a política e até mesmo com a cultura de sua família.

 

                           

   “Lembre-se. Estudar pode modificar a forma que se enxerga o mundo”.

Liberty

 

Em 2016, o salário médio mensal dos paulistanos era de 4.2 salários mínimos. A proporção de pessoas que trabalhavam em relação à população total era de 46.8%, ou seja, 5.698 milhões de pessoas. Além disto, 31.6% (1.800 milhões) destas pessoas possuíam rendimentos mensais de até meio salário mínimo.

Levando em consideração os dados acima, e o cálculo simples da média salarial do habitante da cidade São Paulo, “traduzidos” em valores reais para o salário mínimo de 2019 que é em R$998,00. Entendemos que, para estar entre a média, o cidadão paulistano teria que ganhar hoje em torno de R$4.191,60.

Assustado? Calma! As coisas podem piorar. Em uma estimativa apresentada em matéria pelo jornal Último Segundo em 11/09/2018, tomando como base os dados da OCDE – Organização Para Desenvolvimento Econômico. O Brasil tem uma das maiores parcelas de adultos sem o Ensino Médio completo, e estamos classificados como um dos 46 países com a maior desigualdade de renda. Olhando para o parágrafo acima, você estaria enquadrado dentro da media salarial dos paulistanos? Se sim, ótimo! Com certeza, você transcendeu, e a grande maioria que respondeu “sim”, possivelmente tem o ensino médio completo. Se você respondeu “não”. Não fique chateado, você faz parte de uma grande parcela, que infelizmente precisou largar os estudos por “n” motivos. E isto, infelizmente afeta sua vida como um todo.

Ainda sobre a matéria do jornal Último Segundo. Se levarmos em consideração que esta analise abrange o Brasil e tem como referencia 52% dos brasileiros acima dos 25 anos de idade anos de idade, que não possuem o ensino médio. Podemos ter uma visão se compararmos este percentual com o maior estado habitado do país, o estado de São Paulo.

Fonte: https://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2018-09-11/ensino-medio-no-brasil.html

Em linhas gerais, ter estudo não significa exatamente uma fórmula de sucesso. Porém, estatisticamente esta etapa incompleta na vida de um cidadão, afeta e muito sua qualidade de vida. A renda salarial média do paulistano está totalmente atrelada ao número de anos estudados em sua vida. Isto pode significar estar entre, ou transcender a média salarial de 4.2 salários mínimos. Valores que trazem melhores condições de alimentação, moradia, lazer, participação politica, e educação familiar, entre outros.

Além do mais, concluir o ensino médio pode abrir além das portas de trabalho. Existe também oportunidade de seguir em seus estudos em nível superior, o que em tempos de crise pode significar um aumento salarial de até 5,7 vezes maior que uma pessoa que não estudou.

Atualmente, um trabalhador com ensino superior completo, tem um rendimento médio de R$ 4.911,66, enquanto um brasileiro com até um ano de estudo, ganha em média R$ 859,81. A diferença entre os rendimentos dos dois grupos pode chegar a 471%.

E isto não é somente ruim para que não possui o ensino médio completo. Pessoas com ensino médio completo, o diferencial neste ano em relação a quem tem o superior completo chegou a 169%. É a diferença mais elevada desde 2012.

Fonte: https://g1.globo.com/economia/noticia/2018/08/11/crise-faz-crescer-diferenca-salarial-por-anos-de-estudo.ghtml

 

Por Liberty Ensino a Distância

29/03/2019